segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Recomeçando com a melancia


Primeiro muito obrigada a todas que tentaram ajudar depois do último post. Obrigada de coração, mesmo!

De lá pra dei uma relaxada. Passei uns dias sem me preocupar em oferecer comida ao Pedro. Acho que fez bem a todos. Recomeçamos com as frutinhas. Está tendo um caso com a laranja desde ontem. Chupa um tantão no café da manhã.

E assim a gente vai. Respeitando o tempo dele...

O vídeo abaixo é de ontem, depois do almoço na casa da minha mãe. Resolvemos experimentar (ele ainda não conhecia) melancia. Aproveitamos o calorão, deixamos o rapaz sem roupa e pronto. Uma graça! Demorou pra pensar em colocar na boca, mas até que deu certo.


Depois da lambança, foi hora do banho de pia:

  
Crédito da filmagem para o marido sem sossego ;)

Crédito da edição pra mim que fiz isso pela primeira vez e descobri que gosto muito mais do Corel Draw...

domingo, 4 de novembro de 2012

Frustração às colheradas


O último mesversário acabou passando em branco. Pois é. Agora o Pedro tem 7 meses.
Nas pequenas comemorações anteriores, me planejava e escrevia um post com algumas evoluções. Acontece que o último mês foi consideravelmente tenso, especialmente devido à introdução de alimentos sólidos.
Sabe aquela linda imagem da criança com a boca bem aberta, se deliciando com a colherada de papinha? Ou segurando uma fatia de fruta e se acabando ao se deliciar com as próprias mãozinhas? Aqui não acontece.
Começamos com as famosas frutas amassadas, passamos para frutas e vegetais em pedaços, seguindo as orientações do Baby Led Weaning, voltamos às colheradas... Em um ou outro dia, até houve uma evolução. Pedro pegou um pedaço de manga e comeu boa parte. Outro dia, abriu um pouco mais a boca... mas no dia seguinte, voltamos à estaca zero. E quando falo zero, é zero de verdade! Porque as mães tem mania de reclamar que o filho não come, quando ele come só um pouco. Aqui SE ele engole algum fiapo é porque não conseguiu cuspir, QUANDO consigo aproveitar alguma abridinha de boca (geralmente para reclamação).
Para quem está de fora, é engraçadinho ver as caretas, dá para dar risada com a resistência. Para a mãe não é assim. Em alguns dias fiquei muito, mas muito nervosa. Cheguei a ficar preocupada com isso, porque passar esse nervosismo para ele não vai adiantar. Agora não chego a enervar com a situação, mas fico muito decepcionada, chateada...
Tudo bem, ele mama no peito, está muito saudável, se desenvolvendo lindamente. Mas essa é uma etapa importante do desenvolvimento dele. Será que ainda não está pronto? Será que o tempo dele é diferente do calendário tradicional que coloca os 6 meses como marco para introdução dos alimentos? Não sei.
Agora cedo, tentamos abacate. Fiquei toda animada que tinha comido quase tudo o que coloquei no potinho (cerca de 1 colher de chá). Depois de um tempo, deu para ver que tinha “escondido” tudo dentro da boca e foi cuspindo aos pouquinhos =/
Água está tomando. Até gosta, especialmente nesses últimos dias bem quentes.
Estou precisando de inspiração, de paciência, de uma luz, sei lá. Até agora não tinha me sentido vencida, mas infelizmente este momento chegou.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A maternidade e seus dias inTENSOS

Começou às 3h da manhã, quando um gambá resolveu passear aqui em casa. Ficou pendurado no lustre lá de fora, na calha, sobre a grade bem em frente ao canil. Resultado: Tuca e Belinha latindo enlouquecidamente a noite toda. Pedro não chegou a acordar por causa disso, mas acho que acabou ajudando a despertar às 5h e nada de pregar o olho. Ok. Nosso dia começou antes, muito antes que o normal.

Lá pelas 9h, o marido tinha saído e fui fazer o piá dormir. Ouço a vizinhança conversando sobre o gambá lá na rua. Alguém bate palma. Uma, duas, três vezes. Não atendi. Depois de um tempo, bateu palma e chamou meu nome. Piá já dormia. Fui atender e lógico que ele acordou.

Mais tarde o gambá foi embora sozinho. Ufa!

Depois do almoço, conseguimos a tão esperada soneca maior. Mamãe pode descansar um pouco, também. Às 16h, acordamos. Coloco o rapaz na cadeirinha, apronto um lanche e corto uma nectarina, que seria o lanche dele. Estava bonzinho, mas meio sonolento. Fiquei em dúvida se seria o melhor horário para dar comida, já que tinha mamado há pouco. Mas foi assim mesmo. Babador colocado, câmera ligada, no cadeirão, todo fofo.

- Olha Pedro, essa é a nectarina!

Me olhou, olhou a fruta e fez essa cara:


Pois é. O coco que estava guardado há três dias resolveu sair bem na hora da refeição. Você já comeu sentado no vaso sanitário? Acho que não rola, né?! Enfim...

- Que bom que o coco saiu meu amor! Mamãe só vai terminar de comer e já troca. Enquanto isso, come um pouquinho da nectarina.

Comeu nada. Brincou de carrinho com ela na bandeja, jogou no chão, dei outro pedaço, lambeu, até quase se interessou. Mas acho que comer cagado não é legal, né?! Quando já estava terminando (eu), alguém bate lá na frente. Junto as coisas na mesa rapidinho, senão ao voltar teria uns gatos fazendo a festa.

- Afff, o moço da rede, que pedi para passar à tarde!

Peguei o Pedro no colo com o maior cuidado de não apertar muito.

- Oi moço! Obrigada por voltar, mas é que não consegui sair pra sacar e dinheiro e estou sem um real em casa, agora. Sabe como é, com neném em casa a gente fica meio emperrada, né?!

Ele foi muito gentil. Mas muito mesmo. Super compreensivo. Fiquei até impressionada. Quando coloquei o rapaz no trocador, entendi. Olha só:


Pois é. O vendedor viu que ele tava cagado. Eu não. Beleza, vamos limpar. Algodão, água, algodão, água, algodão, água, algodão, água, algodão, água, algodão, água. Jesus! Tem piscina de coco no umbigo!

- Pedro, tira a mão do cocô! Não, afff você sujou mais ainda.

Lenço umedecido, algodão, cuidado pra tirar o body, rapaz que senta no trocador e se curva pra ver o que tem no chão, quase caindo. Ufa! Acho que está limpo. Hum... sem roupa para troca. Ah! Vai essa mesmo. Comprei ontem e nem lavei ainda, mas está limpinha.

16h30.

- Vem Pedro, fica na cadeirinha que agora nós vamos sair. Mamãe precisa ir ao Correio, mas antes tem que ir embalar a caixa. Mas antes tem que ir sacar dinheiro. Vai ser tranquilo. Tem um caixa eletrônico ali perto.

Fomos. Por que sempre tem vaga de estacionamento só do outro lado da rua? Ah! Aqui tem uma. Embicadinha. Ótimo! Idoso. Deficiente físico. Podia ter vaga para mãe. Hum, esqueci a sacola de lona para ir à frutaria. Vou ficar em débito com o meio ambiente. Melhor nem falar nisso, porque acabei de vender as fraldas de pano do Pedro. Inclusive são elas que precisam ser postadas para a compradora lá em Curitiba. Tá. Vamos estacionar do outro lado. Ai! Essa rua não vira.

Espero que tenha dinheiro no caixa eletrônico.

Ai Murphy! Se eu te pego...

Sai daqui Michel Teló! Fica longe da gente, seu indecente!

Ok. Sem dinheiro no caixa eletrônico. Piá no sling, caixa enorme embaixo do braço, vamos descer uma quadra até a papelaria para embalar. Tomara que aceitem cartão.

- Ai que bonitinho! Ué! Mas não fica apertado assim?


Sem tempo e paciência para comentários sem noção.

Claro que não aceitam cartão. Claro que continuava sem um real no bolso. Vamos voltar até o carro. Mais uma quadra e meia com o piá no sling e caixona embaixo do braço. Quem sabe dá tempo de passar lá na mãe, embalar e voltar aqui? Horário de atendimento até às 17h. Agora são 17h55. O moço já está na porta só esperando dar o tempo. Esquece! Fica para amanhã!

Chegando no carro, um antigo colega e trabalho chega para conversar. Mentalmente me visualizo e tipo assim, sempre tentei trabalhar meio arrumada, com o mínimo de maquiagem, com uma roupa alinhada e talz. Pois bem. Virei mãe em tempo integral... cabeço esbagaçado, olheiras de quem acordou às 5h, blusa cheia de bolinha mas é a única que não marca o puerpério abdominal que nos resta... Não é a situação mais esteticamente favorável. Mas enfim...

- E aí? Vai voltar [para o jornalismo] quando?

Eita pergunta difícil para quem deixou o mercado de trabalho para se dedicar “só” ao filho... Um dia! Meu chefe agora é muito exigente, apesar de ter só 70cm de altura.

Bora pra frutaria!

Tio, perae que to com pressa e a preferencial é minha! Tia, parei na faixa, mas não foi pra você ficar desfilando essa pança em câmera lenta!

Muitos legumes e frutas. Quem vê pensa que o Pedro está comendo um brócolis por dia. Enfim... a esperança é a última que morre, de mãe, então...

Ei tio! Que feio comendo uva direto da gôndola! Menina para e mexe com o Pedro que está no sling. Chuta que ele tem 6 meses. Acertou! Ufa! Alguém acertou finalmente! Sorrio para ela. Brincou e agradou o filho, vira amiga da mamãe =]

Compras no carro, bora pra casa da mãe, ou vó. Enfim, minha mãe e vó dele. Oizinho básico pra vó, conversinha com o tio, tentativa de pegar todos os penduricalhos da cozinha. Vamos embora. O dia hoje já deu o que tinha que dar!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Fotos das nossas slingadas - Semana Internacional do Babywearing 2012

 Até então não tinha sentido saudade de barriga ou dele menorzinho, mas ao ver esta foto, bateu uma saudade imensa de quando ele era petitico e cabia assim.

Essa foi nossa primeira vez, com seis dias de vida. Mais para treinar e aproveitar uns rainhos de sol logo cedo.

Por muito tempo, ele chegava dormindo no mercado e ficava assim enquanto estivesse andando. Só acordava no caixa, porque acabava o balanço. Hoje vai acordadão full time, querendo pegar tudo.  Na foto, tem dois meses. 


Quando tinha três meses, fomos num almoço no parque de exposições, com muita gente, muita bagunça e um friozinho, apesar do sol. O sling foi muito prático, porque nos deu mobilidade e deixou o rapaz quentinho. Na foto, ele está dormindo por isso quase não aparece.

Com quatro meses, no Cinematerna. Acho que foi uma das últimas vezes que as perninhas dele ficaram dentro da volta.

Com cinco meses, fomos a um show da Galinha Pintadinha (bem ruim, por sinal). Bagunça, criançada enlouquecida e uma estrutura que não nos permitia ver o palco direito. Foi para o sling e ficamos bem do ladinho do palco. Aproveitava para cantar as músicas e dançar com ele, que acompanhou tudo com essa cara de "O que minha mãe tem na cabeça de me trazer num lugar desses? Mas pelo menos o colinho está bom!".

 Mais recente, de semana passada, com seis meses. Fizemos curso de batismo, duração de 1h30, à noite, depois do horário de dormir. Ao invés de deixar o baby super irritado de ficar sentado, simplesmente foi pro sling e ficamos andando pela sala. Depois de um tempo, curtiu maior sono.

Passeiozinho no shopping.

A missão agora é convencer o pai a slingar =)

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Nós e o sling - Semana Internacional do Babywearing 2012


De 8 a 14 de outubro é celebrada a Semana Internacional do Babywearing. Nós super estamos nessa!

Ainda na gestação, comprei um de argola e um wrap. O primeiro foi usado unicamente quando saímos da maternidade. O hospital era um labirinto (claro que me perdi) e foi muito mais confortável carregar o pequeno assim. Tentei usar outras vezes, mas descobri que é um modelo menor que o normal, logo foi aposentado.

O wrap é um sucesso! Usamos pela primeira vez na primeira semana em casa, para o banho de sol. Na semana seguinte, neném no sling para mamãe dar uma voltinha na quadra. Foi pouca coisa, mas significou muito para quem não andava assim há meses. Fez bem para os dois.

Com três semanas, fomos ao mercado. Um sucesso! "ai que bonitinho!" "que nem indiozinho!" "onde estão as perninhas?". No começo é assim mesmo. O mercado deve ser o lugar que mais slingamos. Usar aqueles bebês conforto acoplados no carrinho é péssimo. Além de não serem muito higiênicos, se você sai de perto do carrinho, o baby fica lá. Acho meio estranho.

Quando vamos a algum lugar pela primeira vez, me sinto um e.t., já que só conheço mais uma mãe que usa o wrap na cidade.

Claro que teve uma época que o Pedro não gostou muito de ficar amarradinho. Acho que foi lá pelo segundo mês. Mas durou pouco tempo. Hoje fica super quietinho enquanto passo pelas alças e curte o passeio batendo as perninhas. 

Sling pra mim é sinônimo de mobilidade e independência! Teve uma tarde que precisava ir a dois bancos e à farmácia. Ou deixaria o Pedro com alguém, ou usaria o carrinho que é sempre trambolhoso ou slingaríamos. Carregar nos braços não chega a ser uma opção, já que o rapaz nunca foi um "bebezINHO"... Foi ótimo! Ele adorou o passeio e curtiu uma mega fila quietinho, entretido com aquele lugar diferente.

Mais recentemente fomos ao chá de cozinha da minha prima. Foi tenso porque passou do horário que ele costuma dormir, o que me dá super pena. Mas quando começou a ficar com sono, foi pro sling e capotou. Engraçado que uma das recomendações para a amamentação é o contato pele a pele e quando carrego ele por mais tempo, se estou com uma blusa mais aberta, sinto logo o peito encher. Interessante né?!

Além disso tudo, os braços agradecem demais e o Pedro também, que fica coladinho na mamãe de uma forma super confortável. Acabamos utilizando a posição básica, que é que o bebê fica de frente para a mãe, é a que mais gosto porque dá para ficar de olho no baby o tempo todo.

Quer um conselho? Vá de sling!

O nosso wrap é da Sun Kepina

Para quem é do Paraná, tem o Slinguru que é de Londrina.

Mais informações sobre a Semana Internacional do Babywearing 2012.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

6 meses de Pedro


Meio ano de axistência! O nosso filhote nos deixa cada vez mais felizes e babões com as descobertas.

Agora vira de bruços com muito mais frequência e facilidade. No entanto, apesar de saber desvirar, fica resmungando para receber ajuda.

Fica sentadinho e sem ajuda, mas quando a gente menos espera, puf! Tomba para o lado.

Se arrasta de bruços, mas só para trás e para os lados. Ainda precisa aprimorar as manobras para frente.

Ensaia falar. É meio difícil explicar. Mas se até então era uma gritaria, agora ele mexe a boquinha diferente pra falar u u u u a a a a e e e e.

Na época do calorão foi uma delícia deixar o xuxu só de body ou fralda, todo fresquinho.

Uma coisa que está bem clara é a necessidade que ele tem da nossa presença e contato. Se o deixo na sala, com os brinquedinhos por 3 minutos, para arrumar o banho, vira uma gritaria só. As sonecas do dia só duram mais de 5 minutos se eu deitar junto e ele precisa segurar minha mão, encostar no meu braço, sentir que estou ali. Já chegamos a duas horas e meia desse jeito! À noite já passamos por uma semana de necessidade de cama compartilhada desde o início, mas já voltamos ao nosso normal: parte no berço e parte na cama. Durmo menos torta assim =)

Essa necessidade me fez pensar na fase dos 9 meses, quando ele tende a ficar ainda mais apegado à mãe, por se dar conta que não são mais um só...

Uma coisa de cada vez. Por enquanto, feliz merversário filhote!!!

domingo, 23 de setembro de 2012

Fermento e quase comidinhas

Na última semana fiz uma faxina nas roupinhas do Pedro que não servem mais. Elas encheram um saco plástico de 100 litros. E olha que nem somos do tipo que compram roupa nova toda semana. É só o básico, mesmo. O fato é que o Pedro espichou demais. No último mês foram dois centímetros (67,5cm) e uns cinco dias depois da consulta com as novas medidas, ao pegar ele no colo logo cedo tive a impressão que estava maior. No mesmo dia o marido fez a mesma observação. A gente nunca mediu, porque teria que fazer isso diariamente, mas de vez em quando parece que ele deu uma espichada monstro de um dia pro outro.

Macacão só para tirar foto

O resultado disso tudo são roupinhas ficando para trás. O macacão acima foi comprado ainda na gestação. É quentinho, bem macio e estava bem ansiosa para vestir o piá com ele. Acabou que no período que caberia, fez calor. Daí assim que esfriou, vesti para ver como ficava. Não deu. Pezinhos super na costura.

Acabamos indo de conjunto, que ainda está grandinho, mas é o que dá mais certo!

Minhas roupas preferidas para ele são macacões e bodies. Porque são práticos e não o deixam pelado. Quando colocamos camiseta, ela acaba subindo, a calça abaixa e o tanquinho fica de fora o tempo todo. Mas estou vendo que muito em breve não haverá mais macacões do tamanho dele. Considerando que já veste 12 meses... nos resta 18M ou EG. Mas depende da marca...

E esta semana tem gente que vai completar seis meses. Engraçado que agora que comecei a ler sobre amamentação. Vou confessar para vocês que tenho um medo não fundamentado que dando comidinhas, ele desmame logo. Tá, é difícil acontecer. O rapaz mama enlouquecidamente. Mas é que cabeça de mãe doida não tem limite, né?!

Daí acabei lendo dois posts excelentes no Mamaé:

Quando o desmame natural vem da mãe - achei interessante porque nunca tinha visto uma abordagem desse ponto de vista

Dois peitos e três bocas - nunca tinha lido sobre alguém com múltiplos que tivesse amamentado no peito. Está aí a prova que é bem possível, é só ter muita boa vontade.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Vamos falar de coco?


Aviso: este é um post escatológico, como você deve imaginar...

Gente, me segurei. Mas com mais de cinco meses já está na hora desse assunto aparecer por aqui, né?!

O fato é que quando se é uma pessoa sem filho, coco, xixi e afins não são assunto de conversas, a não ser que você tenha levado seu animal de estimação ao veterinário. Mas o bebê nasceu e mais isso muda, afinal de contas é um dos principais indícios de que tudo está lindo com a saúde do pequeno.

Começa com a gosma verde escura meio preta que é o mecônio. Nossa história com ele não foi muito legal. É uma gosta mesmo. Pegajosa. Parece piche. Nos quatro dias que ficamos no hospital o Pedro tinha dificuldade para expelir. Às vezes ficava fazendo força o dia inteiro e geralmente saía só no fim da tarde. Dava bastante dó. Mas a pedi comentou que isso pode acontecer justamente porque o negócio é bem pegajoso e dá mais trabalho para sair... principalmente para quem nunca teve que fazer isso antes. Mas durou poucos dias.

Daí veio o cocozinho mostarda. É molenguinha, mas não totalmente líquido e tem gruminhos. É o coco mais lindo! Quase não tem cheiro. Aliás, tem, mas é fraco. Acho que a intenção é ir preparando os pais. No começo era um coco numa hora do dia, outro na outra hora, geralmente enquanto mamava.

Quando ele tinha menos de um mês, trocava a fralda cheia numa manhã fresquinha e gostosa, usando minha camisa branquíssima para facilitar a amamentação... quando tirei a fralda, plect! Camisa, bermuda, perna, pé, chinelo, cômoda, chão, tudo laranja! Então tá, né?! A gente limpa tudo e recomeça. Depois, no fim da tarde descobre que ainda está com a perna laranja =/

Teve outra vez que estava tirando a roupa dele para dar um banho e balde. Começou a reclamar de fome. Já tinha tirado a fralda. Daí tive a incrível ideia: “Bem, vai ser só uma mamadinha pra ele aguentar o banho. Dá para fechar o macacão sem a fralda mesmo que não vai ter problema”. Adivinha o final da história? No meio do processo só sinto alguma coisa escorrendo pela minha perna e indo para a fresta da poltrona. Era xixi. Mas depois teve um cocozinho básico, também.

Agora estamos na fase do coco astronômico. Ele vai juntando durante o dia inteiro. Às vezes passa o dia e a noite sem fazer, mas quando vem é absurdo. SEMPRE suja a roupa e se está deitado, o lençol também vai para o cesto. A fralda é boa. Mas não dá conta. Poderia usar uma geriátrica que ainda assim iria vazar. Incrível foi o episódio de domingo à noite. Não tinha feito o dia inteiro. Daí depois de trocadinho, tudo certinho para dormir, foi mamar. Estava agitadíssimo. Não pregava o olho. Daí veio: blololololoft! Esperei um tempinho para “assentar” na fralda. Veio mais. Ok. Vamos trocar. Era muita coisa. Fez poça até nas costas do body. Chamei o marido. Era muita merda para uma mãe só. Acabou até com o braço melado. Como o pai estava entrando no banho, o Pedro já ganhou banho de chuveiro, também, porque era impossível algodão e água dar um jeito naquilo tudo.

Ontem foi o mais recente. À tarde estava só de fralda no meu colo sempre no processo de dormir. Mas nada de fechar o olho. Ele tem dessas... agita antes e depois de produzir. Daí, enquanto estava empezinho no colo, pôs pra fora o que incomodava. Pensei “Ufa! Não vazou!”. Ha Ha Ha! Só senti alguma coisa escorrendo pelo braço. O bom é que depois de trocado, apagou.

A pergunta que fica é: como cabe tanto coco dentro de uma criaturinha de menos de 70cm?

E para quem quiser conferir a aparência da coisa, o Babycenter tem até uma galeria de fotos.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Babynique


Hoje fizemos o nosso primeiro babynique. Participaram os amiguinhos do Pedro, o Enrico e o Miguel, com as respectivas mamães Angelis e Melina. A tia do Miguel também, a Carol. Foi no mesmo parque que fizemos nossas fotos grávidos.

Pausa: cheguei 10 minutos atrasada. O motivo foi o mais inusitado: dormi! Gente, nunca imaginei que teria esse motivo novamente!! Hehehehe Mas o Pedro sonecou depois do almoço e acabei capotando junto. Sorte que não passamos muito do horário.

Edredom na sombra da árvore, brinquedinhos disponíveis para babadas coletivas e nenéns livres para brincar com os amiguinhos. Eles não ficaram envergonhados. Colocamos os três sentadinhos (meio embodocados para frente) e rolou uma interação logo de cara. Daí em diante teve manobras de bruços, felicidade enorme olhando a árvore que balançava com o vento, o Miguel chupando a mãozinha do Pedro... dedinho novo dando sopa não dá para deixar passar, né?!

Pedro ainda achou graça na lambança

Adorei o programa, do fundo do coração. Foi a oportunidade de os pequenos interagirem com babies da mesma idade, terem momentos de descontração ao ar livre, o que é ótimo, e as mamães puderam trocar umas figurinhas, desabafar... essas coisas que mãe de neném adora.

Pedro ficou de bruços por tempo recorde e ainda se arrastou. De ré, mas se arrastou

Para as mamães ainda teve sanduíche, bolo de mexirica, sucos e água de coco. Para os xuxuzinhos, muito peito.

Tomara que dê certo de fazermos isso mais vezes, de preferência com os digníssimos maridos e com repelente desde o início, porque o Pedro levou uma picadinha bem na ponta do nariz =)

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Cinematerna: O que esperar quando se está esperando


Ontem foi dia de Cinematerna e lá fomos nós, de baby à tiracolo. Dessa vez o marido não pode ir, então a Angelis e o Enrico nos acompanharam na viagem até Maringá. Foi a vez que mais notamos interação entre os bebês. Deram até um aperto de mão simbólico, olha só:


O cineminha deste mês foi marcado por um rapaz mais durinho: pela primeira vez ele ficou sentadinho no meu colo, sem precisar de apoio. Ficou assim um tempão, só de olho na tela.

(vou contar um pouco do filme, já aviso!!)

"O que esperar quando se está esperando" foi muito bom. Para começar, elenco estrelado. Entre os mais conhecidos, Cameron Diaz, Elizabeth Banks, Jennifer Lopez (que deu uma maneirada na cara de coitada, dessa vez), Chris Rock e Rodrigo Santoro. A história é sobre casais que estão na mesma etapa da vida: filhos. Seja planejando, adotando ou simplesmente passando por um aperto inesperado.

Minha expectativa era de dar muita risada de situações que já passamos ou ainda estamos passando. Até teve um pouco disso. Mas não achei uma comédia escrachada e sim um humor mais leve com um toque de reflexão. Gostei um pouco mais da abordagem do parto. Não foi só aquela coisa hollywoodiana de gritos e tal. Ok, teve gritos e descabelamento, mas já vi muito pior em outros filmes. Também teve duas partes mais tristes... um aborto espontâneo (do casal do filho inesperado) e a moça que se preparou muitíssimo, fez o plano de parto e na hora, devido aos batimentos do neném estarem baixos, foi para a cesárea. Sinceramente esta parte foi a pior pra mim. Nossa história foi meio próxima e deu um nó danado na garganta.

A melhor personagem, para mim, foi a funcionária da loja de produtos para bebês. Ela não engravida, mas é bem sem noção e dá umas tiradas ótimas. Outro ponto alto é o grupo dos camaradas, os pais que se reúnem com as crias no parque para espairecer e idolatrarem um cara bonitão, malhado, solteiro, fotógrafo de surf e que ainda não é pai. AINDA!  

A parte mais sem noção do mundo foi o parto da tiazinha com cara de modelo/coelhinha da playboy. Grávida de gêmeos, quase não tinha barriga, não sentiu nenhum desconforto da gravidez e o primeiro neném saiu quando ela espirrou o.O Em contrapartida, a “cunhada” dela teve tudo e mais um pouco...

Vale a pena, viu?! De preferência para assistir com o pai do neném. No fim das contas, é um filme sobre amor =)

Alguns cliques da sessão, by Jéssica Alves:

Pedro chegou felizão 

 Deu uma mega mamada e capotou por uns 30 minutos (vitória!!!)

Das vezes que fomos, essa foi a com mais gente

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Dor de estimação – o fim


Passou da hora de colocar um ponto final no fantasma da nossa gestação: a dor nojenta na coluna/perna. A última atualização sobre o assunto foi em fevereiro. Não lembro detalhadamente o que aconteceu de lá pra cá, mas foi mais ou menos assim:

- depois do remédio com morfina que não fez efeito nem por dois dias, tivemos nova consulta com o GO de Campo Mourão que receitou injeção de corticoide para amadurecer os pulmões do Pedro, já que não tínhamos certeza se aguentaríamos até o final da gestação. Também receitou um paracetamol mais forte. Saímos do consultório direto para a farmácia. Não senti nem a picada da agulha. A dor na perna estava muito, mas muito pior. Incrivelmente no dia seguinte melhorou, mas depois tivemos piora novamente.

- lá pela 38ª semana, a dor sumiu. Quase dei pulos de alegria, mas a barriga estava muito pesada para isso. Nem acreditava e nem sabia o que tinha feito efeito, afinal. A questão é que estava boa e foi ótimo. Deu um gás para aguentar até o finalzinho.

- na 40ª semana, ela voltou. Mais fraca, mas voltou. Quando começou o trabalho de parto, ela estava lá e foi por culpa dela que corremos para uma opção com analgesia.

- terminou que a melhor parte da cesárea foi a anestesia que não deixou sentir o corte, nem a dor na perna. No mesmo dia do nascimento, estava uma maravilha. No dia seguinte, voltou um pouquinho.

- até mais ou menos um mês depois do nascimento do Pedro, ainda tinha algum resquício, sabe?! Dava uma mancadinha de leve, mas a cada dia ia diminuindo e diminuindo. Fiquei com um pouco de medo de piorar por ter o peso dele nos braços, mas deu tudo certo.

Hoje dá pra dizer que não temos mais dor. Finalmente, né?! Sinto um pouco de fraqueza nos joelhos e agachar ainda é um movimento tenso, abaixar muito também, porque perdi bastante musculatura por ficar muito tempo de repouso. Mas dor não tem e o resto a gente recupera com o tempo. Nada que o Pedro personal trainer não resolva!!!

O que era, afinal? A posição do bebê pressionava algum nervo ou qualquer outra coisa que causava a dor. Vai acontecer novamente numa outra gestação? Não tem como saber. A osteopata diz que podemos fazer um acompanhamento desde o início para preparar mais o corpo. Mas daquele jeito, né?! Gravidez é sempre uma caixinha de surpresas. O importante é que vencemos essa etapa ruim e agora só temos felicidade com o rapazinho =)

terça-feira, 28 de agosto de 2012

5 meses de Pedro



Hoje tem mesversário? Tem sim senhor!!!

No alto dos seus cinco meses o Pedro está cada dia mais atento. É incrível como a visão acaba “puxando” os outros sentidos. É bem legal quando vamos a algum lugar que ele já tinha estado com um ou dois meses. Presta ainda mais atenção como se estivesse checando os detalhes que deixou passar antes.

As brincadeiras preferidas até aqui são: pinçar a língua com o polegar e o indicador (já dormiu fazendo isso, inclusive), chacoalhar o elefante de pelúcia/móbile, chacoalhar o chocalhinho  de olhos fechados, porque já sabe que de vez em quando escapa e leve uma “chocalhada”, ser abanado com a almofada (gente, ele enlouquece!) e brincar de esconder (ou melhor, ser escondido) e aparecer sob o cobertor.

A alegria desse rapaz é contagiante! Difícil o dia que começa com o pé esquerdo e não melhora quando vemos esse sorrisinho desdentado. Quando ele começa a gargalhar, então... ficamos até com dor nas bochechas!! Sim! Pura corujice. Tem como ser diferente?

Ah! Então... ele está bem durinho e a semana passada foi de conquistas: conseguiu levantar as costas da cadeirinha para pegar os pés – ficando bem mais durinho e a caminho de sentar sozinho, virou de bruços por conta própria e [o mais importante] passou a acordar apenas duas vezes durante a noite (antes eram pelo menos cinco).

Sexto mês, pode vim. Mas vem bem devagar, porque não tenho pressa de começar a alimentar esse rapaz com outra coisa senão o leitinho de mamãe!!

sábado, 25 de agosto de 2012

Uma noite quase inteira


Hoje é dia de festaaaaa!! Aconteceu uma coisa inédita nos últimos quase cinco meses: Pedro acordou apenas duas vezes na noite!!

Para dormir, um bailinho básico. Mas apagou lá pelas 20h. Acordou às 2h30. Dormiu às 3h40. Demorou para dormir, porque mesmo mamando estava agitadão. Fica assim quando vai fazer cocô. Foi pôr pra fora e capotou. Daí acordou 6h30. Mamou um pouquinho na cama mesmo, deu uma cochiladinha e pronto! Nosso dia começou umas 7h15 com direito a muitos beijos no rapaz para agradecer. Mamãe descansada fica mais feliz para cuidar do neném!

Vai continuar assim? Isso é o que nos aguarda no final do salto de desenvolvimento dos 4 meses? Sei lá. O fato é que já fiquei feliz, porque desde que ele nasceu foram pelo menos cinco vezes de chamados por noite. No começo foi dureza, mas com o tempo o corpo da mãe vai se adaptando... isso não quer dizer que não fique feliz com quaisquer 15 minutos a mais de cama!

Para quem pensa que fiquei preocupada olhando o piá, se estava tudo bem, porque ainda não tinha acordado e talz, fiquei não! Já passei dessa fase e estava muito ocupada , hehehehe.

Delicinha acordar e ver essa carinha de sono *.*

Esta semana tivemos um pequeno susto lácteo. Desde a quarta à noite, sentia um pouco de dor ao amamentar do lado esquerdo. Foi piorando durante o dia e na noite de quinta me toquei que a parte de dentro do peito esquerdo não esvaziava depois da mamada e tinha um ponto branco no mamilo. Pensa numa coisa dolorida! Só de segurar ele no colo já incomodava pacas. Comentei na comunidade Aleitamento Materno Solidário e fui prontamente atendida. Resolvemos o problema com compressa quente, massagem durante a mamada, um pequeno furinho no ponto branco com uma agulha esterilizada e uma super mamada. Ufa! Passou! Fiquei bem preocupada.

Então... o nome do que aconteceu é ducto mamário obstruído. Pode acontecer devido ao baby ficar sempre na mesma posição e de um jeito que não sugue o peito inteiro, daí o leite vai ficando, ficando, juntando e daí complica. Pelo menos acho que foi isso que aconteceu no nosso caso. Se não cuidar rapidinho, pode virar mastite. Redobramos a atenção.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Gritos e resmungos



Na última quinta-feira o Pedro viajou para o planeta dos resmungos, com direito a parada no continente dos gritinhos. Peeeeeeeeeeensa num rapaz sonoro! Acho lindo o nosso piá testando e aprendendo com a  própria voz, mas tem hora que dá um certo nó na nossa cabeça. É resmungo pré mamada, resmungo durante a mamada (que não quer dizer saciedade), resmungo de saciedade, resmungo de cansaço, resmungo só por resmungar, resmungo de cansaço, resmungo perdi o mordedor, resmungo de alegria... Detalhe que é tudo o mesmo resmungo! Sabe quando você lê que os pais aprendem a diferenciar o choro do bebê e blá blá blá? Pois é, tem que diferenciar o resmungo, também.
Daí tem o grito, que aparece um pouco menos que o resmungo. Começou com uma coisa meio Joelma da Calypso, mas agora está menos fino. Ontem visitamos a vovó Agail e ele teve um acesso de grito que foi uma loucura. Perguntei para a minha mãe se acontece isso com todos os bebês, ela respondeu “tem piores”. Ok.

***

Pensei que já tivéssemos passado pelo salto de desenvolvimento dos quatro meses e meio. Há-Há-Há! Dizem que é um dos piores saltos. Estou acreditando. Dormir está uma luta. Assim, ele sempre chorou para dormir. Mas agora está LUTANDO. Apoia as mãos no meu rosto e empurra o corpo para trás, tenta ficar em pé, ir para o outro lado do colo, uma loucura! Isso que quase comemorei a facilidade que estava a hora de dormir há um tempinho atrás.

***

Esses dias, num horário que costuma (daquele jeito, né?!) ter soneca, ele mamou e nada de ficar mole. Pensei: falta empenho. Vou ser forte e fazer esse rapaz dormir no braço nos próximos 15 minutos. Há Há Há parte 2. Foram 9 minutos de muuuuuuuuuuuuuita cadeira de balanço e luta intensa. Me surpreende os vizinhos não terem chamado o Conselho Tutelar. Parecia que estavam batendo na criatura. Desisti!

***

Ontem ele acabou sonecando lá pelas 18h30. Não era para dormir, mas ele acabou apagando depois de mamar. Resultado: piá foi dormir só depois das 22h. Teve banho, mamada, ninamos e nada! Ele estava super bonzinho, só ficava de olhão arregalado. Chamei o marido. Mais 40 minutos e nada. Desistimos. Ligamos o abajur e deixamos ele brincando um pouco no berço para cansar. Enquanto isso fomos jantar. Voltamos e ele estava feliz da vida. Colocamos o rapaz na nossa cama, deitamos ao redor e apagamos a luz. E ele felizão. Depois de um tempo, o Marcus tentou faze-lo dormir novamente. Deu uma amolecida, mas os braços dele não aguentaram (tem isso, também. Já contei que ele está pesando 8kg?) Daí assumi: mamadinha de dois minutos e apagou. Ufa! Acordou 45 minutos depois (!!!!), mamou mais um pouco e capotou por duas horas. A partir daí foi de hora em hora. É. Nossas noites estão assim, mesmo quando ele dorme no horário. Acorda de hora em hora e tem que mamar. Beleza! O problema é quando mama e nada de pegar no sono novamente. Fica umas duas horas dando trabalho.

Vamos lá. Todos juntos: VAI PASSAR!! OOOOUUUUUMMMMMMMMMMMM

Ah! Então... depois dessa noite maravilhosa, acordou uma hora mais cedo e nada de soneca até agora. Está aqui do lado acabando com o mordedor. Vou terminar o post e tentar novamente. Vai que dá, né?!

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Rindo DE mim ou PARA mim?


Gente, esta semana o Pedro me aprontou uma que preciso dividir com vocês:

Fomos ao oftalmologista, porque ele estava com o olho irritadinho. Era só isso mesmo, uma irritação. Daí não tinha horário, era encaixe. Ficamos esperando quase duas horas para sermos atendidos. O piá já estava injuriado e eu sem opções do repertório de entretenimento. Daí o médico nos chamou. Ele nem deu muita bola para o Pedro, sabe?! Só olhou para ele de leve, nem fez brincadeira, nem nada. Mais falava comigo. Então sentamos na cadeira para exame e o piá começou a gargalhar. Mas não era uma gargalhadinha básica, ele estava rachando de rir e só ria quando o médico falava. Voltamos à mesa para a prescrição da receita e não teve jeito, cada vez que o médico abria a boca, todo sério, ele caia na gargalhada. Tentei suavizar um pouco a situação, mas a verdade é que ele achou a voz do médico engraçada e estava rindo DELE. Por fim, até eu estava dando risada, porque estava demais. Será que o cara percebeu?


Teve uma outra vez que passamos por situação parecida. Uma senhora ficou toda se achando porque o Pedro estava rindo para ela, “porque as crianças gostam de mim, é difícil a que não dá uma risadona gostosa quando brinco com elas”. O que a tiazona não sabia é que tem uma voz gralha e o piazinho estava rindo disso!!

Ai gente... cada uma!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Mãe profissional


Ontem rolou uma discussão no fórum do Minha Mãe que Disse sobre a culpa materna de não trabalhar fora. Para começo de conversa, nunca tinha ouvido tanto a palavra “culpa” antes de entrar para esse universo. Sério mesmo que mãe tem que sentir tanta culpa? TEM QUE ou incutem culpa na gente? Sei lá... Até a Revista Pais & Filhos está fazendo uma campanha no Facebook: Culpa, Não!

O fato é que uma mãe comentava que sente bastante a pressão da sociedade por ter deixado o mercado de trabalho (atuava como nutricionista) para ser mãe, profissionalmente. Daí que ainda na gestação fiz a opção de deixar de atuar (não de SER) como jornalista e passar a ser mãe profissional. Foi uma escolha fácil? Nem um pouco. Pelo menos uma vez por mês tenho uma nuvem negra sobre a cabeça que me faz questionar essa decisão. Mas lembro rapidinho que curto cada momento com o Pedro, o que não poderia fazer se resolvesse deixá-lo com terceiros o dia todo.

Por mais que a gente dê uma questionada de vez em quando, devido a essa pressão besta da sociedade, vale muito a pena ser mãe profissional, pois os nossos pequenos serão pequenos só uma vez na vida, já o mercado de trabalho estará aí para sempre e não nos receberá com beijos e sorrisos desdentados, como nossos filhos! Minha capacidade intelectual não diminuiu por isso, só foi redirecionada. Não penso mais em release, eventos, cerimonial, contato com a imprensa e sim em fraldas, promoções de roupas infantis, desenvolvimento psicomotor, brincadeiras e muita baba. Pode parecer menos importante, mas não é! Pergunte para o Pedro.

Admiro as mães que conciliam atuação no mercado de trabalho com os filhos. Conheço muito adulto que foi criado por mães que trabalharam fora o tempo todo e se tornaram pessoas muito boas e educadas.

Considero que a melhor demonstração de independência da mulher, de liberdade, é ter condições de escolher, de optar SE vai ter filhos e COMO vai lidar com eles.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Cabeleira do Zezé ... ou da Maria


Cabeleira ficou um arraso na gestação? Pudera! Com todas aquelas vitaminas tomadas para o baby, tinha que sobrar alguma coisa para você. Então aproveita. Faça um álbum no Facebook só com fotos jogando a juba pra lá e pra cá. Sim! Porque depois do parto, minha amiga, boa parte vai embora. Já tinham me alertado, mas disseram que seria devido à anestesia do parto. Mas tem gente que teve parto natural e passa pela mesma situação. São os hormônios indo pro ralo (que pode entupir, inclusive).    

Falhinha fofa do Pedro

Masssss não são só as mamães que ficam carecas (Calma! Tô exagerando!). Já tem mais ou menos um mês que o Pedro está perdendo muito cabelo. A fronha fica cheia de fiozinhos e é bem na parte da cabeça que fica apoiada quando ele deita. Como o rapaz nasceu bem cabeludo, aparece ainda mais. Um tufo de fios longos no topo e uma baita falha ao redor. Há quem diga que pode nascer de outra cor mais pra frente. É esperar pra ver!

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

De propósito?


Quando ele resolve que vai dormir pior ainda à noite, acordando de hora em hora
Quando ele resolve que mesmo dormindo na sua cama, mamando deitadinho ao seu lado, não é suficiente
Quando ele resolve que só vai voltar a dormir se for embalado [e muito]
Quando ele resolve acordar 7h da manhã, mesmo você tentando “esticar” o sono dele e o seu
Quando ele está caindo de sono, toma um banho quente gostoso, mama direitinho, mas na hora de ir para o berço, acorda
Quando você repete os últimos passos quatro vezes, dando mais tempo, esperando um nível de sono mais profundo, mas ainda assim ele acorda
Quando a criatura simplesmente resolve que não vai dormir e você resolve desistir. Afinal de contas, tudo tem limite.
Não, não é de propósito. Mas tem hora que paciência de mãe também chega ao fim.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Mamaço pelo Brasil - é sábado!!



Em comemoração a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), todas as mães e bebês estão convocados para se unir a este movimento nacional e mundial.

A ideia é amamentar nossos filhos exatamente no mesmo horário e registrar esse momento. Use sua criatividade e espontaneidade para mostrar onde está amamentando: pode evidenciar a sua cidade, um ponto turístico, a intimidade deste momento...

A intenção é criar um vídeo com todas as fotos para ser veiculado nas mídias sociais e assim, mostrar que somos mães que acreditamos na importância do ato como benefício insubstituível para os nossos bebês!

Então, queremos contar com todas as mães da comunidade e da blogosfera materna para fazer este evento algo muito significativo.

As fotos poderão ser enviadas para: simone_cordeiro@hotmail.com ou anexadas na página da AMS. Pode-se colocar o local da foto (cidade, país) e o horário.

Então, no dia 04 de Agosto, às 14hs, todas as mães e seus bebês praticando o ato mais amoroso do mundo: a amamentação!

Por favor, nos ajudem a divulgar o evento. Quanto mais mães de diferentes estados e países, mais significativo será o evento.

Orientações sobre as fotos:

• A “Hora do Mamaço” acontecerá ao mesmo tempo, em todas as cidades e países onde estiverem mães amamentando. O dia é 04 de Agosto e o horário às 14:00hs;
• As fotos podem ser individuais ou em grupos;
• E vale toda a criatividade para mostrar que em muitos lugares diferentes, as mães estão amamentando seus bebês;
• Então, lugares como pontos turísticos são muito bem vindos, para evidenciar a cidade representada;
• A ideia é criar um vídeo com o máximo de lugares representados;
• Pode ter faixa, cartazes e materiais que enriqueçam este momento;
• As fotos poderão ser anexadas na página do grupo de discussão “Aleitamento Materno Solidário” ou enviadas para o e-mail: simone_cordeiro@hotmail.com;
• O prazo será até dia 06 de Agosto e pretendemos lançar o vídeo no ar no enceramento da SMAM, dia 07 de Agosto de 2012;
• O vídeo será disponibilizado e divulgado para todas as redes sociais e mídia.

Um beijo a todas,

Simone De Carvalho
AMS Brasil

Mariana Prata
Idealizadora

Fonte: Super Duper

Eu e u Pedro vamos participar. E você mamãe?

terça-feira, 31 de julho de 2012

Testamos e aprovamos [ou não]


Nessa vida de neném a gente vai testando vários produtos. Seja pelo preço ou por indicação de alguém ou porque simplesmente é o primeiro que vem à mente. Tem muitos blogs que mostram resenhas de produtos, como o TestDrive Mami e uma série do Jardim Divino. Para aumentar essa lista de opiniões, vou contar o que achamos de alguns.

Fralda Pampers Total Confort – Boa. Muito boa. É a nossa fralda oficial para o dia. É a mais fininha, com material confortável (oi? Como é o nome mesmo?), segura a caca numa boa. Mas só para o dia. À noite, pelo menos no nosso caso, não funcionou. Está no nosso topo das melhores fraldas diurnas.

Fralda Pampers Supersec – Entonces, não é a mais confortável e é plástica por fora. É meio grosseirona, mas é a que usamos à noite. O Pedro faz 546 litros de xixi durante a noite e coco a quilo. Como a supersec é mais barata que a noturna e não rendeu alergia ou outro desconforto aparente, é a nossa fralda noturna oficial. Ah! Só para constar: não troco a fralda à noite. Isso porque ele fica muito, mas muito aceso na troca e acaba dando mais trabalho para voltar a dormir. Então a não ser em casos muito raros de cagância extrema, passa a noite com uma só. Mas também tem que sair do berço e já ir para o trocador. Se ficar sentado na cadeirinha com a fralda cheíssima, acaba vazando, pois está mega no limite.

Fralda Pampers Noturna/Diurna – Não é à toa que na embalagem está escrito “a melhor fralda Pampers”. É boa mesmo. Aguenta a noite toda, é de material mais confortável e só um pouco menos maleável que a total confort . É a melhor, não tem o que falar mais. O único detalhe é que custa quase R$ 1 a unidade. Quando encontro caixa que vem ela de brinde, acabo comprando. Só não usamos mais pelo bolso, mesmo.

Fralda Pompom Top Confort – Muito boa, também. Está em segundo lugar no nosso ranking das melhores fraldas diurnas. Acabo indo pelo preço: se estiver mais em conta, compro ela, se não, vamos de Pampers. Segura bem a caca do dia e tem um material confortável, mas é um pouco menos maleável que a Pampers total confort.

Fralda Huggies Turma da Mônica Soft Touch – No começo achei que seria boa. Mas decepcionou. O que não gostamos é do formato. Tem as laterais bem fininhas e vazou horrores. Só usamos até terminar o pacote e não voltamos a comprar.

Creme para assaduras Baruel Xuxinha – Sério mesmo que é feito para prevenir alguma coisa? A consistência é muito aquosa, não protege nada... duvido que a Xuxa usou no bumbum da Sasha! Comprei num dia que fui a um mercado diferente e não tinha outras opções. Já faz uns dois meses. A bisnaga está lá. Já passou da hora de ir para o lixo.

Lenços umedecidos Turma dos Anjinhos – Tão bom quanto a pomada da Xuxinha. Comprei um balde com 550 unidades ainda na gestação. Não tinha ideia de marcas e achei que estava fazendo uma boa aquisição. Uma bela nhaca, isso sim! A textura parece de papel sulfite, o “umedecido” parece espuma de sabão. Não limpa caca nenhuma, só espalha. Já tentei até usar para tirar maquiagem. Não prestou. Acho que vou jogar os lenços fora e ficar com o baldinho para colocar algodão, isso sim!

Toalhas Umedecidas Huggies Turma da Mônica (embalagem verde) – até agora meus lenços umedecidos favoritos. Utilizamos somente em trocas fora de casa e não decepcionou. Textura excelente, levemente granulada, fofinho e a umidade é na medida certa. O fecho da embalagem também é o favorito. Por ser de plástico rígido, não meleca e fecha direitinho. Melhor de tudo é que vira e mexe esta em promoção ;)

Toalhas Umedecidas Pampers – Perde para a Turma da Mônica. A textura não é tão agradável. Acho que é só isso, porque ainda assim limpa bem e tem perfume gostosinho. Está em segundo no nosso ranking.

Banheira com trocador Burigotto – Adoro do fundo do coração. Já me disseram que não vamos poder usar por muito tempo, já que a tendência é o xuxu ficar bem sem sossego. Que seja! Até agora está servindo perfeitamente! O trocador fica numa altura boa, é fofinho e tem as laterais altas, o que dá uma certa segurança (apesar que o Pedro aprendeu a forçar os pés e subir o corpo). O verso do trocador ainda tem estampas que o rapazinho AMA de paixão. Fica muito entretido e tem dia que até chora se o colocarmos numa posição que não dê para ver os monstrinhos. A banheira fica alta, de um jeito que deixa nossa coluna quase feliz. Dentro da banheira, ainda tem um suporte para recém nascido que ainda utilizamos. Deu bastante firmeza para darmos banho nele e permite que o Pedro fique sentadinho (mesmo sem estar firme para isso) enquanto utilizamos as duas mãos no banho. É um trambolho, como tudo o que usamos para criança, mas um trambolho que vale a pena.

Absorvente para seio Johnsons – O melhor que usei até agora. O gel é bem absorvente, BEM mesmo levando em consideração que usei no começo da amamentação, quando vazava muito.

Absorvente para seio Equate – O gel não é tão absorvente quanto o Johnsons, mas tem servido perfeitamente. Ainda assim estou usando essa marca porque é um pouco mais barata. Mas acho que só vende em supermercados da rede Walmart.

Sabonete liquido corpo e cabelo Bebezinhozzz Racco – Cheirinho gostoso, ensaboa legal, limpa o rapaz e dá vontade de apertar ele até não poder mais, depois do banho. O único porém é que a embalagem é bem rígida e depois que o conteúdo está abaixo da metade, pode ser um pouco difícil dar banho sozinha.

Sabonete Johnsons Baby em barra – Foi o primeiro que usamos. Rende bastante e é o que deixa a pele do Pedro mais hidratada. Acho mais prático usar em barra do que líquido. Por enquanto até lavamos a cabeleira do rapaz com ele.

Atualizando...

A Ediane, que é mãe do Danilo, de cinco meses resolveu colaborar, também. Deixo a opinião dela e sugiro que quem estiver procurando algum produto, leia o post e os comentários, porque o que é bom para uns pode não ser para outros ;)


SABONETE Granado Infantil Líquido - ADORO o Granado amarelinho, neutro, o pump up dele é muito bom, dá pra pegar e usar com uma mão só enquanto usa a outra pra segurar o bebê. O cheirinho é ma-ra-vi-lho-so. O Johnsons Hora do Sono também é muito bom, cheiroso, uma delícia, mas eu troco de embalagem porque ele não é de pump.

FRALDAS só uso a Pampers Total Confort, dia e noite, e também não troco fralda de madrugada, só pela manhã. Usei a super sec um tempo por ser mais barata, mas a pele não respira, não gostei. Turma da Mônica aqui em casa foi só um pacote que comprei pra testar e não gostei. A Total Confort eu compro a caixa com 100 fraldas (dois pacotes de 50) pra ser mais em conta.

CREME PREVENTIVO DE ASSADURAS da Turma da Mônica é o melhor que usei até hoje, e usei pelo menos meia dúzia de marcas diferentes, de cremes a pomadas. Essa aí, além de ser a melhor, achei a bisnagona de 135gr por 13,00 (ou seja, muito em conta comparando com as outras pomadas e cremes).

TROCADOR eu não usei, não cabe no quarto do Danilo... e nem no banheiro. Então, não tive alternativa, mas sei que é muito bom, muitas mães usam. Eu mandei fazer um suporte pra banheira dele ficar numa altura que nos seja confortável e damos banho no quarto. Problema é que nosso piso é laminado e o guri pula, se vira na banheira, chuta, bate pernas e braços e molha o chão todo e nos dá um banho também... daí tem de ficar com um panão do lado pra enxugar toda a "molhança" depois do banho dele. Trocar eu troco em cima do bercinho mesmo, que por enquanto tem o estrado alto, ou seja, não machuca nossas costas. Abandonei o trocador da cômoda faz teeeempo porque o Danilo começou a se mexer demais, se virar de bruço e chutar e pular, daí fiquei com medo.

LENÇOS umedecidos eu não gostei de nenhum, todos parecem aquele TNT, molhado com água de sabão. Gosto mesmo é das toalhinhas umedecidas. ADOREI as da Johnsons, mas são as mais caras. Estou usando as Huggies que, como vc falou, tem a melhor embalagem e também são muito boas e cheirosas, mesma qualidade da Johnson. A da turma dos anjinhos gostei muito, mas elas não desprendem fácil umas das outras e como eu coloco todas dentro de um porta-toalhinhas preciso que elas desprendam, pra eu poder puxar pelo buraquinho.

ABSORVENTE DE SEIO eu acho o Johnsons o melhor. O York também usei, não absorve tanto quanto o Johnson, mas é bom também e mais barato. Mas quando vaza muuuuuito molha o sutiã, principalmente de madrugada... Usei uma outra marca duma caixinha meio rosa, não lembro o nome, que é uma bela duma porcaria... não absorve NADA. Pena eu não lembrar o nome.

TRAVESSEIRO DE AMAMENTAÇÃO eu recomendo muito mesmo, aquele em forma de meia lua (e aqui a gente chama o meu de lua mesmo - me dá a lua, eu digo pro Rogério, rs). Acho beeeem mais útil e necessário do que ter uma poltrona pra amamentar, mesmo porque eu gosto de amamentar na sala, na presença do pai, ou no quarto, na minha cama, quando ele mama de manhãzinha. Digo que toda mãe deve ter.

SEGURA-BEBÊ eu uso bastaaaante. Desde que nasceu até hoje. Antes era mais pra apoiar as costinhas do bb, porque ele nem se mexia. Agora, como ele se vira pra todo lado, uso pra ele não se virar tanto durante a noite e, com isso, não se acordar.

PORTA-FRALDAS eu gosto, hein. Antes ficava o pacote em cima da cômoda, caía no chão, era ruim de pegar. O nosso é um bonecão pendurado na parede e as fraldas ficam guardadas nas calças do boneco (bem sugestivo). Ganhamos de presente e não achei que fosse ser tão útil...

BABADOR eu achava que não ia usar, mas faz mais de um mês tem sido muito útil. Ou então tem que usar várias toalhinhas de algodão durante o dia. O Danilo tem salivado muuuuuito (e tem tido muita coceira nas gengivas também - logo vai atingir uma nova etapa que vai causar desconforto e dor, a chegada dos dentinhos, não quero nem pensar!).

MORDEDOR é bom ter uns três, quatro. De borracha, macia, fácil de pegar e levar à boca, fácil de lavar. Eu comprei dois que têm água dentro, pra levar na geladeira e ficar frio e ajudar a aliviar a dor quando os dentes estiverem nascendo. Ainda não chegamos nessa etapa, mas algo me diz que não vai demorar...

ESTERILIZADOR eu acho útil e necessário. Mesmo que a pesso ainda não use mamadeira, é grande a chance de um dia vir a usar, de qualquer forma é bom pra esterilizar várias coisas, como chupetas (pra quem usa - é o nosso caso, o Danilo não é viciado em chupeta mas de vez em quando damos pra acalmar, em momentos específicos e por pouco tempo), mamadeiras, brinquedos, conta-gotas ou colherinha de dar remédio (o Danilo toma uma vitamina que o pediatra indicou até um ano de idade que dá com colherinha).

CADEIRINHA DE BALANÇO pra quem puder, indico. É um ótimo lugar pra deixar o bebê quando a gente precisa ir ao banheiro, tomar uma água, lavar louça ou fazer qualquer coisa ou mesmo dar um descanso pros braços da gente. Ele fica ali bonitinho, a cadeirinha treme e tem brinquedinhos, ele se distrai, quando ele se chacoalha ou pula ou bate pernas ela balança... nunca testei nenhuma daquelas elétricas/eletrônicas, mas devem ser maravilhosas...

sábado, 28 de julho de 2012

4 meses de Pedro



Hoje Pedro completa quatro meses de vida. Parabéns para o nosso piazinho!

O que mais marcou esse mês foi o pescocinho durinho de verdade e o imenso interesse por ficar sentado, posição que até então a gente dava uma forçadinha, pois ele quase não formava 90 graus com o corpo e as perninhas. Queria ficar esticado.

Tem também a falação descontrolada,gritinhos, “palavras” e coordenação cada vez melhor, além de imenso interesse em colocar dedinhos, mãozinhas e tudo mais na boca. E o pé agora é amigo, ganha carinho e serve para puxar as perninhas.

O melhor de tudo foi hoje cedo, um pouco antes de tirar a foto do início do post. Coloquei ele de bruços sobre a cama, depois da troca de fralda e fiquei fotografando e brincando. De repente ele vira de barriga pra cima. Simples assim. Fez cara de “O que foi isso?”, recebeu milhões de beijos e felicitações. Depois repetiu para o papai ver. Uma lindeza!!

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Não julgue para não ser julgado


Este foi o maior ensinamento que a maternidade nos trouxe: “Não julgue para não ser julgado”. 


Qualquer semelhança com o que você ouviu na catequese não é mera coincidência!

Digo nós, porque tenho a sorte de ter um marido incrível que está por dentro de cuidados como baby e fica tão estarrecido como eu quando vê algumas coisas.

O fato é que não dá para julgar o comportamento de uma mãe, o que ela faz pelo seu filho. Cada um sabe o tamanho do desespero pelo qual está passando ou já passou. É tranquilo dizer que não vai medicar o neném quando ele tiver cólicas [ou qualquer outro nome que queiram dar ao choro descontrolado a partir dos 15 dias], por exemplo, mas só na hora que você tiver um pequeno se contorcendo nos braços é que percebe-se que nem sempre as coisas saem como queríamos. 

Então se você resolver dar chá antes dos seis meses, usar chupeta, praticar cama compartilhada, amamentar no peito até mais de dois anos, usar mamadeira, dar complemento (NAN), andar de carro para o neném dormir e tantas outras coisas, o problema é seu. Assim como com relação ao que fazemos com o nosso filho, o problema é nosso. Respeito a decisão alheia, especialmente se respeitarem a minha.

Claro que temos nossas crenças e nem sempre conseguimos disfarçar a cara de estranhamento quando presenciamos cuidados diferentes. Mas respeitamos.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Um saco de ração

Sexta-feira passada (13) foi dia de pediatra. Pedro está com 7.350kg e 63cm. Praticamente o saco de ração que damos para os miaus, de 7,5kg.  A diferença é que a ração deixo para o marido carregar por achar muito pesada, mas o Pedro não tem como, hehehe

***

Hoje é um dia histórico: o rapazinho começou a se interessar pelo pé. Há semanas, que na hora de trocar apresento o pé para ele, passo as mãozinhas nos dedinhos, mas ele não demonstrava estar muito afim de amizade. Mas hoje, logo cedinho, enquanto segurava os pezinhos para cima, para limpar a lambança no bumbum, começou a acariciar os dedinhos-bolinha. Ainda não leva os pés para o alto sozinho, mas é um bom começo, né?!


***

Desde o início da semana, o Pedro está meio difícil. Sono do dia não durava tanto, já acordava meio irritado, nada estava bom, sono da noite dando umas regredidas bem grandes. Conversando com o marido, resolvemos dar uma olhadinha no calendário de picos de crescimento. Não deu outra! Considerando que este pico é um dos mais compridos e que vira o sono do avesso, ficamos felizes por saber que o nosso filho está se desenvolvendo como manda o figurino. Mas precisa judiar tanto assim, Jesuis?!!?!? E só para termos certeza, na noite passada, ao invés de dormir umas cinco horas no primeiro sono, rolou só três com direito a muita dificuldade para dormir novamente. Seguimos repetindo o mantra materno: "Vai melhorar! Vai melhorar!".

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Conselhos para futuras mamães


Gente, baseada no que estamos vivendo, vou deixando umas dicas sinceras para quem pensa fabricar neném, um dia.

- LEIA. INFORME-SE. Bem provavelmente seu obstetra vai reclamar de você ficar de olho no Google, mas eleja umas fontes confiáveis e se jogue! Gestação, amamentação, cuidados com ele e com você. Importante ler muito para escolher o estilo de maternagem que você vai escolher (ou se vai misturar vários, também).

- EXPERIÊNCIAS práticas são ótimas, mas não as considere regras, porque cada caso é um caso e esse dizer nunca foi tão verdade como quando o assunto é gerar uma vida.

- FRALDAS de algodão, se jogue nelas! Fraldinhas de boca em formato menor, bordadinhas e cuti cuti são ótimas, mas se o $ estiver curto, compre por metro ou caixa, que faz o mesmo efeito. Importante: mande fazer barra para durarem mais tempo mesmo lavando na máquina. Você vai usar para forrar o trocador, para forrar qualquer outra superfície e para limpar surpresas que acontecem bastante!

- Tenha um SMARTPHONE. Bem provavelmente, por algumas semanas [ou meses], você vai ficar meio fora do mundo exterior. Ter acesso à internet sem muito esforço especialmente durante aquelas looooooooooooongas mamadas, vai te deixar bem mais feliz. Fora que fica facinho de encher o face com fotos do xuxuzinho.

- Ligue o FODA-SE! Já te falaram para fazer isso muitas vezes na vida, neh?! Mas agora é pra valer. Não vai faltar gente sem noção querendo te dar conselhos loucos ou contando que a prima da vizinha da tia teve uma gravidez catastrófica. Problemas podem acontecer, mas nesse momento você precisa de informação de qualidade, não terrorismo.

- ao invés de comprar FRALDAS DESCARTÁVEIS durante a gravidez, poupe o dinheiro. Isso porque pode ser que você compre um pacotão todo mês para aproveitar o vale-alimentação, mas na hora de usar, você descobrir que essa ou aquela marca não caem bem no seu bebê e todo o estoque fica às traças. Fora que tem a questão do tamanho. O Pedro não usou RN, foi direto para a P e ficou pouco tempo nela. Já estamos na M.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Desculpaê


Gente, preciso pedir desculpas para você que visita este humilde blog. Desculpa por não poder escrever direitinho. Há mais de três meses os posts demoram a aparecer e acabam surgindo com mais erros, ideias meio truncadas, terminam do nada. Estou me esforçando, mas ainda não consegui ter o mesmo cuidado que tinha antes, quando o tempo era maior.

Mas não deixe de voltar por isso, tá?! Juro que um dia vai melhorar ;)

terça-feira, 17 de julho de 2012

Corpo fechado

AVISO: este post trata de assunto escatológico.

Daí que você lê a recomendação em qualquer lugar. Da fonoaudióloga ao endocrinologista, passando pelo Globo Repórter, todo mundo fala a mesma coisa: beba água. Pelo menos dois litros por dia. Daí você engravida e dobra a ingestão diária. Afinal de contas tem que renovar o líquido amniótico. É o melhor para você e para o baby. Neném nasce saudável e lindão. Você fica feliz, afinal de contas pode deixar de se hidratar feito um camelo. Mas daí...

Na consulta 40 dias pós-parto, comentei com o médico, meio que por acaso, que estava com o intestino bem preso. Para quem até então sempre foi um "reloginho", passei a ir ao banheiro dia sim, dia não. Coisa feia, viu?! Ele me diz que é assim mesmo, amamentação pode interferir no funcionamento do intestino.

Pensa comigo: em situações normais, você já precisa de muita paz para fazer o número dois. De preferência que não seja fora de casa, de preferência num lugar com isolamento de odores, de som, de luz, de qualquer coisa. Mãsssssss com o baby pequeno, é você entrar no banheiro e ele acorda, ou está bonzinho e quando você fecha a porta, começa a reclamar. Além disso que é mais psicológico, boa parte da água que você passa a ingerir vai para a produção de leite, logo pode faltar para o resto.

Recomendação: beba mais água! Tá. Então vamos lá. Muita água e chás, todos possíveis. O copo da sede noturna passou a ser de 500ml. Alimentação com muita fibra, tudo direitinho.

Resultado: produção de leite quase dobrou e lá embaixo... continuou do mesmo jeito!

Atitude desesperada: iogurte que faz você ir ao banheiro. Ai gente, não teve outro jeito! Virei sócia da Danone. Pelo menos assim funcionamos regularmente.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

VÍDEO: Pedro curtindo Belinha


Hoje à tarde fomos visitar a bisa Ivone. Pedro já tinha visto a Belinha mil vezes, mas encafifou com ela e deu a maior gargalhadona gostosa. Foi a primeira vez que demonstrou tanto interesse por um bichinho. Os gatos daqui de casa ele até olha, mas fica só nisso.


Gente, pelamordeDeus, sem neura. Água e sabão são para essas horas.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Conversa com Deus

è Não se preocupe, essa não é uma corrente daquelas que enviam por email

Oi Deus! Tudo bom?

Sabe o que é? Estava pensando como foi quando o senhor criou o Adão e a Eva lá no paraíso. Trabalho danado de bem feito, hein?! A natureza, o ser humano, tudo funciona direitinho (ou funcionava até a gente começar a estragar). Mas arrisco dizer que não foi tão difícil assim. Calma, calma! Foi uma baita de uma obra e eu certamente não conseguiria fazer nem metade com a sua perfeição. Mas é que era só o senhor, né?! Ninguém para falar “faz assim, faz assado”, “põe mais uma perna”, “capricha mais nessa costela”, “ah, mas vai deixar desse jeito? Cria pelo menos uma meinha pro pé deles”.

Caso o senhor ainda não tenha pegado o que quero dizer, é o seguinte: por que o senhor criou os palpiteiros? Sério mesmo. Até as baratas tem função na nossa cadeia alimentar, mas qual é a função dos palpiteiros?

Acho uma puta falta de sacanagem, porque na gestação além de todo aquele turbilhão de hormônios te deixando enjoada, enorme, desajeitada, ainda é preciso ouvir gente dando palpite. Daí o neném nasce e pronto! Triplica! Como se você não fosse capaz de cuidar de uma criatura que saiu do seu ventre.

Claro que a experiência das nossas mães é muito importante. Elas já tiveram um, dois, três filhos, já tiveram que cuidar de crianças no tempo que os recursos eram bem limitados em relação à atualidade. Mas custava o senhor ter colocado uma pitadinha de freio para que as pessoas (nossas mães, mães dos outros, quase mães, pessoas não mães) só falassem quando fossem solicitadas?

Tem gente que parece precisar falar, de qualquer jeito, o que quer que seja, só para [des]contribuir. “Ah, mas não é assim que se passa hipoglós” “Mas você não vai usar chupeta? Coitadinho!” “Desse jeito está errado, faz assim” "Põe mais uma mantinha [calor de 30º lá fora]" "Ele não está com sede? [choro do neném antes dos seis meses, quando você já avisou que a amamentação será exclusiva]" e blá blá blá.

Por isso inventaram a cara de alface.

Até o Pedro faz cara de alface


Como não estou afim de ser xingada, aviso que valorizo muito a experiência das nossas mães. Aproveito ao máximo os conselhos da minha, sempre aliados ao conhecimento mais aprofundado da atualidade. Mas conselho de coração é bem diferente de palpite enxerido. 


A Melina, do Jardim Divino, fez uma postagem bem boa com muitos pitacos desnecessários. Dá uma passadinha lá e confira Etiqueta ou manual do bebê para visitas

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Picos e saltos



Quem está de fora, vê o neném bonitinho, crescendo que nem abobrinha, um dia tem um resmungo novo, outro dia um movimento inédito, mama, dorme, enche a fralda... daí solta a pérola: “mas essa vida de bebê é uma moleza!”. Tenho vontade de dar uma voadora em quem fala isso. Mas mamãe me deu educação, então me contenho, tá?! O fato é que crescer dá trabalho. Em algumas fases da vida até dói.

Para variar, antes da gestação nunca tinha ouvido falar de saltos de desenvolvimento e picos de crescimento.  Foi uma informação que ajudou bastante a entender porque ele estava meio agitado logo no início. A definição de cada um é:

Saltos de desenvolvimento são aquisições de habilidades funcionais específicas que ocorrem em determinados períodos. O ritmo de desenvolvimento não é constante: há alguns períodos de desenvolvimento acelerado e outros onde há uma desaceleração. Toda vez que seu bebê desenvolve uma nova habilidade, ele fica tão excitado e obcecado com a conquista que a quer praticar o tempo todo, inclusive durante o sono. Em outras palavras, um dos ‘efeitos colaterais’ desse trabalho todo que o cérebro dos bebês está fazendo é que eles não dormem tão bem quanto o fazem em períodos que não estão trabalhando em dominar uma nova habilidade. Eles podem até resistir às rotinas já estabelecidas.”

Pico de crescimento é um fenômeno que ocorre nos bebês e, no qual, estes solicitam mais mamadas do que de costume. Estas necessidades geralmente duram de poucos dias a uma semana, seguido de um retorno ao padrão menor de mamadas. A mãe costuma sentir como se não desse conta de produzir leite em quantidade suficiente para o bebê.”

Daí que essas fases acabam coincidindo e a última foi na 12ª semana. O Pedro sente bastante cada pico, desde o comecinho. Nesse último, duvidava um pouco que poderia afetar as mamadas, mas o menino que mamava um peito só antes de dormir, passou a mamar os dois e se tivesse um terceiro, ia também! Como boa mãe desesperada, cheguei a duvidar da quantidade de leite, o que não procedeu, porque o coitado leva alguns esguichos na carinha de vez em quando. E o sono? Desandou tudo. O padrão que era de 6h, 3h, 3h, passou a 3h, 1h, 1h. Além de ter dias que precisou ser colocado três vezes no berço até dormir direito e de vez em quando dava umas choradas, parecia estar acordado, mas estava dormindo. Judiou da mãe! Mas estamos voltando ao normal, graças a Deus!

As informações são daqui: http://guiadobebe.uol.com.br/fases-de-crescimento-e-desenvolvimento-que-modificam-o-sono-do-bebe-e-da-crianca/ e sugiro fortemente a leitura de todo o artigo, que é bem interessante =)

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Ferida e dedinhos


O post desta semana ia ser de reclamação. Desde domingo o Pedro estava chatonildo. Na casa dos meus pais, após o almoço, mesmo dormindo bastantinho, foi o maior chororô. Ficamos sem entender e acabamos voltando para casa mais cedo. Segunda continuou no mesmo padrão. Terça, chorava estridentemente quando o pai tentava fazer dormir (sempre chora quando percebe nossa intenção, mas foi mais caprichado, bem mais). Na quarta, mesma coisa. Na quinta, decidi dar um banho cedinho para ver se ficava mais amigável. Quando acabamos o banho, reparei que da feridinha da vacina BCG, aquela que inflama, incomoda e deixa o braço marcado para a vida toda, estava saindo pus. Há algum tempo ela estava inflamada, mas ele não se mostrava incomodado até então. Saiu muito, mas muito! Limpei com algodãozinho úmido. Daí começou a sair sangue. Isso sem apertar nem nada. O piá começou a chorar. Mas um choro que doía os ouvidos e isso não é exagero. Uma das piores coisas é ver seu chuchuzinho chorando de dor. Estridente, vermelho... ai credo!

Mas enquanto o pai limpava o que saía, tentei fazer uma mini massagem pra distrair e já coloquei uma roupinha sem manga. Apesar da recomendação de não fazer curativo nenhum, acabei colocando uma gaze dobradinha e beeeeeem frouxa, porque saía alguma coisinha. Depois disso, mamou na cadeira de balanço. Foi acalmando, acalmando até que dormiu. Rendeu 2h30 de sono. Acordou outro menininho. Com um curativo ridículo no braço, mas parece que ficou aliviado, tadinho.

Pois é... tinha juntado restinho do pico de crescimento de 12 semanas (estou pra fazer post sobre isso há 2 meses. Juro que sai antes dos 6 meses!), algumas escapadas da rotina de sono e mais o bracinho. O resultado foi um neném ruinzinho por alguns dias. Tadinho! Ainda bem que passou. Agora está cicatrizando novamente e pode inflamar novamente também =/

Mas tem coisa boa! H HojHoje´´vepvfmlekvml~keafvmnÃQMFvl

Hoje, desde a hora do almoço, o Pedro está tentando firmar mais o pescocinho. Estava sentado no meu colo e ia com o corpinho pra frente e voltava. À tarde tive que fazer sabatina de banco e farmácia. Levei-o no sling e pela primeira vez nem precisei segurar a cabecinha. Ficou no maior interesse olhando tudo e quase durinho de vez. Falta pouco!

Para terminar, a paixão das últimas semanas. Aliás, as paixões: mãozinhas. Uma de cada vez, as duas juntas, só a ponta dos dedos, os dedos inteiros e... chegou a encostar na campainha e dar uma engasgadinha, ehhehee Na hora fiquei meio preocupada, mas depois entendi o que tinha acontecido. Achei foi pouco! Quem manda ser guloso! Deve ter aprendido, porque não aconteceu mais.


E daí a preocupação disso virar uma chupada de dedo eterna. Sempre ficamos de olho. É muito raro ele ficar só no polegar. Geralmente é a mãozinha toda. Neste caso, me limito a limpar a babança. Até dou a fraldinha para ele segurar, daí ele mesmo baba e limpa, prático, não?!